• Ana Jorge

COMER PARA VIVER | CANCRO DA MAMA

Atualizado: Fev 2

Após um diagnóstico de cancro da mama, muitas mulheres reavaliam o seu estilo de vida questionando-se o que poderá ter estado na origem do cancro e, embora não evite, a verdade é que um estilo de vida saudável pode diminuir o risco de aparecimento e até de recidiva.

Quando falamos de estilo de vida saudável, a alimentação tem um papel fundamental e embora não existam formulas mágicas para evitar o cancro, existem guidelines gerais que podem e devem ser implementadas na sua dieta com o objectivo de reduzir o risco.

Assim, falamos basicamente de duas ações. Reduzir e Aumentar.



REDUZIR:


A primeira trata-se de reduzir e/ou eliminar da sua dieta os alimentos menos saudáveis, que no fundo constituem uma Dieta Inflamatória e cujo consumo está diretamente ligado com um maior risco de cancro.

Falamos assim de eliminar/reduzir o consumo de:

  • Açúcares: Dietas com uma elevada carga glicémica estão associadas a um maior risco de cancro da mama. O foco deve ser em diminuir o consumo de açúcares adicionados e não os açúcares naturalmente presentes nos alimentos, promovendo sobretudo a manutenção de um peso saudável.


  • Gorduras Trans e Saturadas: Limite a ingestão de alimentos que contêm gorduras saturadas e trans e dê preferência a fontes de gorduras saudáveis tais como: o azeite, sementes e oleaginosas (nozes e amêndoas), peixe pequeno (sardinha, cavala) e abacate.

  • Carne vermelha e processada: A Organização Mundial de Saúde classificou as carnes processadas, incluindo presunto, bacon, salame e salsichas como alimentos carcinogénicos do Grupo 1 (conhecidos por causar cancro), o que significa que há fortes evidências de que as carnes processadas causam cancro (intestino e estômago) enquanto que a carne vermelha, como vaca, borrego e porco, foi classificada como cancerígena do Grupo 2, o que significa que provavelmente causa cancro. No que diz respeito ao cancro da mama os estudos indicam que o seu consumo pode aumentar o risco e até mesmo a taxa de mortalidade. Sendo que existe evidência que a substituição de uma porção/dia de carne vermelha por uma porção de uma combinação de leguminosas, frutos secos, peixe e aves está associada a uma diminuição do risco.

  • Álcool: Um copo por refeição? Em situações de Cancro da Mama a resposta é NÃO. A evidência mostra que beber apenas 1 copo de vinho ou outra bebida alcoólica por dia aumenta o risco de cancro da mama… Não Facilite.


AUMENTAR:


A segunda ação tem a ver com o aumento do consumo de alimentos/nutrientes que têm propriedades “Anti Cancro”

Falamos de Aumentar o consumo de:

- Frutas e Vegetais: As frutas e Vegetais contêm fitoquímicos com propriedades antioxidantes, antiestrogénicas e quimiopreventivas que podem prevenir o cancro. A quantidade recomendada são no mínimo cinco ou mais porções de frutas e vegetais diariamente, sendo o ideal 10 porções por dia. Os vegetais crucíferos (ex: brócolos, couve-flor, rúcula, agrião) são especialmente ricos em fitoquímicos que podem ajudar a diminuir o risco de cancro da mama com receptores de estrogénio e devem fazer parte da sua dieta diária. Veja uma sugestão de receita com agrião aqui.