Consumo de Substâncias Tóxicas

“Quando o tema são drogas, seja inteligente, não experimente”

São várias as razões pelas quais o ser humano é levado a experimentar o consumo de substâncias nocivas. Por mera curiosidade, por influência social, por questões emocionais ou genéticas, pela busca de sensações de alívio e relaxamento, entre outras. 

E o que são as substâncias tóxicas ou nocivas?

São substâncias cujo consumo prejudica o nosso organismo e que podem levar a uma adição, ou seja, dependência, falamos sobretudo do consumo de tabaco, álcool, drogas (leves ou pesadas) estimulantes, etc. Cada uma destas substâncias tem impactos diretos no nosso corpo e pode levar a estados de adição, tornando difícil o processo de cessação do seu consumo.

Image by Lê Tit

TABACO

Em Portugal o Tabaco mata mais de 11.800 portugueses por ano, e segundo um relatório de 2017 apresentado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), a cada 50 minutos morria uma pessoa por doenças atribuíveis ao tabaco. 


Contudo, apesar destas estatísticas, os estudos mostram também que cerca de um terço das pessoas fumadoras disse ter tentado parar de fumar e as consultas de cessação tabágica também aumenta todos os anos, o que poderá indicar que existe uma intenção de deixar de fumar, por uma grande parte dos fumadores.

ÁLCOOL

Com história e traço cultural de produção e consumo, o álcool é também um problema na sociedade portuguesa. As estimativas mais recentes da OMS (relativas a 2016) indicavam que o consumo nacional anual per capita era de 12,3 (litros/ano), números superiores à média europeia (9,8 litro/ano). 

É sabido que o consumo de álcool pode trazer efeitos negativos no curto prazo, mas os impactos do seu consumo excessivo e prolongado contribuem para doenças crónicas e consequentemente para um aumento de risco de morte. Danos ao nível do sistema cardiovascular, danos no fígado e no seu funcionamento, enfraquecimento do sistema imunitário, problemas neurológicos e aumento do risco de vários tipos de cancro (destacando-se o da boca, garganta e esófago) são algumas das possíveis consequências negativas a longo prazo.

Image by Louis Hansel @shotsoflouis

E, enquanto que para os adultos poderá haver uma quantidade segura de ingestão de álcool o mesmo não acontece quando falamos dos jovens (de menos de 21 anos). Nestas camadas não existe quantidade segura o que é muito preocupante dada a crescente taxa de consumo nesta faixa etária.

 

Segundo um estudo de 2020, que acompanha as tendências europeias no que diz respeito à evolução dos comportamentos aditivos, quando foram comparados os dados de  2019 com os de 2015, ocorreu um decréscimo de três pontos percentuais no consumo de tabaco (em linha com a tendência europeia) mas por outro lado Portugal registou um ligeiro aumento no consumo de álcool, invertendo o caminho descendente que vinha a percorrer desde 2007 e contrariamente à tendência Europeia.

 

Sendo que entre 2015 e 2019, a percentagem de alunos de 16 anos que ingeriram pelo menos uma bebida alcoólica ao longo da vida aumentou de 71% para 77% e a prevalência de consumo 'binge' (uma grande quantidade na mesma ocasião) também aumentou. Por outro lado, Portugal também se destaca negativamente pelo consumo de álcool precoce sendo a percentagem de jovens portugueses de 16 anos que iniciaram o seu consumo aos 13 anos (ou menos), superior à média europeia. 

Por acreditarmos que a PREVENÇÃO é a palavra chave quando falamos no consumo de substâncias tóxicas, o nosso foco é sobretudo atuar junto às camadas jovens (quando ocorre a experimentação e consequentemente a adesão), informando e alertando para o perigo que o consumo destas substâncias pode representar para o organismo e os danos que pode trazer a curto e a longo prazo. 

Controlar o consumo de substâncias que possam causar danos ao organismo é um dos pilares fundamentais de um Estilo de Vida saudável e é ao mesmo tempo um Pilar que obtém benefícios através das boas práticas de outros. Falamos dos benefícios que por exemplo a prática de exercício físico, a gestão do stress e até mesmo uma alimentação saudável podem trazer para controlar, reduzir e eliminar o consumo de substâncias tais como o Tabaco ou o álcool. 

Em conjunto, reunindo vários profissionais de saúde e com recurso ao processo de Coaching podemos auxiliar na cessação do consumo de substâncias nocivas que põe em risco a sua saúde e o seu Bem Estar. Porque quem decide é você, por si e pela sua saúde!

Para saber mais, consulte:

DGS – Relatório do Programa Nacional para Prevenção e Controlo do Tabagismo 2017

European Drug Report 2020