• Ana Jorge

A FOME EMOCIONAL – BEM-ESTAR

Quando temos fome emocional, não temos fome de comida, mas sim...de

emoções e embora a comida possa ajudar a aliviar estados negativos,

identificar os sentimentos por trás desta fome é fundamental!

O stress, ansiedade ou tristeza são situações e emoções que contribuem

para o desplotar da fome emocional e a estratégia para lidar com ela passa

por encontrar maneiras alternativas de lidar com esses sentimentos.



MEDITAR PARA ACALMAR


Existem vários estudos que mostram que a meditação ao promover a atenção plena pode ajudar a lidar com situações de fome emocional e transtorno alimentar.


Trazer a sua atenção para o aqui e agora irá ajudá-lo a acalmar a sua mente

e a trazer a sua consciência para o momento presente. Deixando as angústias do passado, no passado e a ansiedade do futuro...no futuro...focando apenas o presente.


E, na verdade, existem várias maneiras de trazer a sua atenção para o momento atual. Para além dos exercícios de respiração que já falámos, poderá optar por atividades tais como: a pintura, a costura, a jardinagem e até mesmo uma caminhada ou corrida.



FALE CONSIGO MESMO DE MANEIRA POSITIVA E PERGUNTE-SE:


O que se passa comigo neste momento? Tenho fome? Se não tenho fome por que é que estou com vontade de comer? O que gostaria de estar a fazer neste momento? Existe algo que me preocupa? O que posso fazer neste momento que me dê prazer?


Sentimentos de vergonha e culpa estão normalmente associados à alimentação emocional. É importante que trabalhe na conversa interna de maneira positiva especialmente após um episódio. Em vez de desanimar, tente aprender com a situação. Use-a como uma oportunidade para prever situações futuras e mime-se com uma atividade prazerosa tal como um banho quente, uma caminhada ou escutar uma boa música.



NÃO SE ISOLE E PROCURE SUPORTE


Resista à tentação do isolamento em momentos de tristeza ou de

ansiedade. Um telefonema para um amigo ou para um membro da família

que já não vê há algum tempo pode fazer maravilhas.

Se sentir que a situação está fora de controlo e que os episódios de fome

emocional começam a ser frequentes então é hora de procurar ajuda.

Contate o seu médico e procure um Psicólogo para o ajudar a lidar com o

lado mental da alimentação emocional.

Embora seja muito mais frequente do que se pensa, se não for tratada, a

alimentação emocional pode levar a um transtorno de compulsão

alimentar ou outros distúrbios alimentares.

Contudo, e mesmo não sendo uma tarefa fácil, quanto mais se conhecer e

aceitar a si mesmo mais facilmente irá conseguir lidar com as suas emoções

e tomar controlo da sua vida.

21 visualizações

JUNTE-SE A ESTA COMUNIDADE!

  • Black Twitter Icon
  • Black Facebook Icon
  • Black Google+ Icon

© 2019 por Ana Jorge | Nutrihealth Coaching.