• Leonor Madeira

QUANDO A QUARENTENA PODERIA SER A MELHOR DESCULPA PARA DESTRUIR RESOLUÇÕES DE ANO NOVO...

Atualizado: Fev 2


... SÓ QUE NÃO!


I. Resoluções de Ano Novo

Depois de segunda feira, o dia 1 de Janeiro é a data preferida para iniciar projetos de mudança de vida. O ano novo enche-se das melhores intenções e o filme repete-se:

  1. Ou vai ou racha! - aqueles que querem mudar tudo ao mesmo tempo: deixar de fumar, emagrecer, fazer dieta e treinar todos os dias, comprar uma bicicleta para uma voltinha aos Sábados e uma prancha, fato e aulas de surf para os Domingos…

  2. Alguém que resolva o meu problema! - aqueles que atiram para cima de um instrutor ou treinador, ginásio ou frasco de comprimidos a responsabilidade de os motivar e transformar no sonho de pessoa que querem ser.

  3. Acabou-se! Nunca mais na vida! - aqueles que, enjoados de uma época de descalabro gastronómico e enclausura, mergulham em restrições calóricas drásticas e querem treinar como acham que treina um atleta.

  4. Logo agora que finalmente reunia as condições necessárias para começar! - aqueles que responsabilizam “a vida” de lhes estar constantemente a montar armadilhas e obstáculos para que “não lhes seja possível” serem mais saudáveis.

E podíamos ficar aqui o resto da vida a enumerar situações típicas de resoluções de ano novo…



II. Fitness v/s CrossFit


Perita na manipulação deste tipo de presas tão frágeis, a “indústria do fitness” conhece melhor do que ninguém estes comportamentos típicos do consumidor sedentário com maus hábitos alimentares. Promete mundos e fundos: “perca a barriga em 30 dias”, “em duas semanas, tenha o corpo com que sempre sonhou” ou “gaste calorias sem ter que se mexer”, enquanto bombardeia o mercado de ideais estéticos irreais.


Mas há programas radicalmente opostos, treinadores responsáveis e bem preparados para desmontar todas estas artimanhas. Apesar de nem todos os “consumidores” estarem dispostos a encarar evidências, existe uma pequena percentagem da população que não se deixa enganar nem iludir. São os alunos que connosco treinam nestes espaços a que chamamos de Boxes:

A. Não temos paredes cobertas de espelhos porque a imagem e o corpo são a consequência e não a razão para treinar. E sim, as Boxes estão cheias de pessoas lindíssimas…

B. Brutalmente honesto - não há corta-matos. Sem esforço não se atingem resultados;


C. Com aulas para pequenos grupos onde cada movimento e cada treino é devidamente personalizado: adaptado e adequado à especificidade de cada aluno;

D. Recorremos a todo o tipo de protocolos, recrutando diferentes sistemas energéticos e mantendo uma enorme variedade de movimentos e tipos de treino. Por outras palavras, fugimos de rotinas e do mais do mesmo;

E.