• INÊS CORREIA

CUIDADOS DE SAÚDE NO REGRESSO ÀS AULAS

Neste momento, a maior parte das nossas crianças e jovens já regressaram às instituições de Ensino há quase um mês. Se as novas Normas e Orientações são muitas, causando ansiedade nos pais e crianças e obrigando a ginásticas logísticas mais difíceis que a cambalhota, existem alguns cuidados que são constantes ao longo dos últimos anos.

Desta forma, vamos começar por relembrar os cuidados que já tínhamos:


  • Contacte o seu Pediatra ou Equipa de Saúde Familiar para agendar as consultas de vigilância dos seus filhos. As consultas preconizadas no Plano de Saúde Infantil e Juvenil são: primeira consulta de vida, 1 mês, 2 meses, 4 meses, 6 meses, 9 meses, 12 meses, 15 meses, 18 meses, 2 anos, 3 anos, 4 anos, 5 anos, 6-7 anos, 8 anos, 10 anos, 12-13anos, 15-18 anos. As idades referidas não são rígidas - se uma criança ou jovem se deslocar à consulta por outros motivos, pouco antes ou pouco depois da idade-chave, deverá, se a situação clínica o permitir, ser efetuado o exame indicado para essa idade. Por outro lado, se existe preocupação com algum situação particular do seu filho/a, deve contactar o seu médico/a ou enfermeiro/a assistente para que a situação possa ser avaliada, independentemente de a criança/ jovem se encontrar, ou não, nestas idades chaves.


  • Mantenha o Plano Nacional de Vacinação da criança/ jovem atualizado. Uma correta vacinação é essencial para prevenir o aparecimento de doenças ou minimizar os seus efeitos. No entanto, a informação muitas vezes amplamente difundida pela internet não é toda confiável e pode ser alarmante para os pais. Não deixe que isso o impeça de vacinar o seu filho/a. Se tem dúvidas quanto a determinada vacina, pergunte à sua equipa assistente, uma vez que são estas as pessoas habilitadas a responder às suas questões de forma fidedigna.Existem ainda outras vacinas que não estão contempladas neste Plano e nas quais pode ter interesse: não hesite em questionar sobre elas. 

Chamo a atenção para algumas vacinas até agora não comparticipadas (rotavírus, meningocócica B e HPV (rapazes)) e que integraram o Plano a 01 de Outubro de 2020.

  • Mantenha consultas regulares de Medicina Dentária e recorde a correta higienização da cavidade oral. A primeira consulta deve ser


realizada no máximo até a criança completar o primeiro ano de vida. Quando existe uma boa saúde oral, a criança/ jovem deve ser observada a cada 6 meses. Antes do início das aulas ou nos primeiros dias, uma vez que muitas crianças almoçam e lancham nas instituições podendo existir mais algum descuido com a higiene oral, devemos garantir que esta cavidade começa o ano letivo da forma mais saudável possível.


  • Planifique as refeições da semana, sem esquecer os lanches saudáveis. Uma alimentação equilibrada é essencial para o bem-estar do seu filho/a, nas suas mais variadas dimensões. Para mais informações, consulte a publicação da Nutricionista Ana Jorge.


  • Reeduque hábitos de sono. Sabemos que durante este último ano os ritmos se alteraram. No entanto, quantidade e qualidade adequadas de sono são fundamentais não só para a saúde de todos os indivíduos, como também para manter um rendimento escolar desejável. Volte a criar rotinas de sono (hora de adorm