• Ana Jorge

ALIMENTAÇÃO SUSTENTÁVEL

Conheça as bases da alimentação sustentável e da Dieta Planetária.



Será Possível alimentar uma população cada vez maior reduzindo o impacto ambiental e respeitando a biodiversidade e os ecossistemas e ao mesmo tempo cumprir os requisitos nutricionais necessários? A resposta pode passar por adotar aquilo a que os pesquisadores chamaram de Dieta Planetária.


O QUE É A DIETA PLANETÁRIA? Na realidade, significa uma alimentação amiga da sua saúde e do ambiente, com especial atenção e recomendações na:


  • Origem dos alimentos

Optar por produtos nacionais e, de preferência, que venham de pequenos

produtores e mercados locais. Quando escolhemos fruta oriunda de milhares de quilómetros temos que ter em conta que o facto de viajarem, de avião ou

de barco, implica a libertação de grandes quantidades de CO2 para a atmosfera, o que não é sustentável para o planeta... para além que quando compramos local os alimentos costumam ser mais frescos e com mais sabor!

  • Sazonalidade

Hoje em dia estamos habituados a ter praticamente todas as variedades de frutas e legumes durante todo o ano. Respeitar a sazonalidade dos alimentos é uma prática mais sustentável para o planeta.


  • Produção

As recomendações internacionais defendem a redução do consumo de proteína animal e o aumento do consumo de frutas, legumes e vegetais. A produção de alimentos contribui com 25% das emissões totais de gases de efeito estufa, sendo 50% dessas emissões atribuíveis à carne bovina e vermelha. Substituir carne vermelha por proteína vegetal tem o potencial de melhorar tanto a sua saúde como a do ambiente.


Isto significa abolir o consumo de carne, peixe e lacticínios?


Não, mas significa reduzir o seu consumo e optar por fontes de proteína vegetal.

Assim, os frutos secos e as leguminosas (grão, feijão, lentilhas) devem fazer

parte da nossa alimentação DIÁRIA e as frutas e vegetais devem constituir

METADE do nosso prato. Dar preferência a frutas e vegetais provenientes de agricultura biológica (que não recorre a adubos químicos e pesticidas) e optar por carne que vem de animais que passam mais tempo ao ar livre e cuja alimentação provém, maioritariamente, dos pastos onde se inserem são também aspetos a ter em conta.


Quanto ao peixe, embora este tenha um impacto ambiental menor do que a carne, também é necessário ter em conta alguns fatores para que seja realmente sustentável: preferir a pesca tradicional e respeitar a sazonalidade das espécies são alguns deles.


  • Embalagem e Transporte

As embalagens que são utilizadas e o meio em que são transportados são também determinantes para a pegada ambiental. Escolher os mercados tradicionais locais e levar o nosso próprio saco reutilizável são algumas medidas que devemos ter em conta.


  • Desperdício