• Ana Jorge

A FOME EMOCIONAL – BEM-ESTAR

Atualizado: Fev 2

Quando temos fome emocional, não temos fome de comida, mas sim...de

emoções e embora a comida possa ajudar a aliviar estados negativos,

identificar os sentimentos por trás desta fome é fundamental!

O stress, ansiedade ou tristeza são situações e emoções que contribuem

para o desplotar da fome emocional e a estratégia para lidar com ela passa

por encontrar maneiras alternativas de lidar com esses sentimentos.


MEDITAR PARA ACALMAR


Existem vários estudos que mostram que a meditação ao promover a

atenção plena pode ajudar a lidar com situações de fome emocional e

transtorno alimentar.

Trazer a sua atenção para o aqui e agora irá ajudá-lo a acalmar a sua mente

e a trazer a sua consciência para o momento presente. Deixando as

angústias do passado, no passado e a ansiedade do futuro...no

futuro...focando apenas o presente.

E, na verdade, existem várias maneiras de trazer a sua atenção para o

momento atual. Para além dos exercícios de respiração que já falámos,

poderá optar por atividades tais como: a pintura, a costura, a jardinagem e

até mesmo uma caminhada ou corrida.



FALE CONSIGO MESMA DE MANEIRA POSITIVA E PERGUNTE-SE:


O que se passa comigo neste momento? Tenho fome? Se não tenho fome

por que é que estou com vontade de comer? O que gostaria de estar a

fazer neste momento? Existe algo que me preocupa? O que posso fazer

neste momento que me dê prazer?

Sentimentos de vergonha e culpa estão normalmente associados à

alimentação emocional. É importante que trabalhe na conversa interna de

maneira positiva especialmente após um episódio. Em vez de desanimar,

tente aprender com a situação. Use-a como uma oportunidade para prever


situações futuras e mime-se com uma atividade prazerosa tal como um