10 Passos para Motivar os seus Filhos a fazerem uma Alimentação mais Saudável

Falar de alimentação saudável não é fácil, muito menos quando o público são as crianças. Por diversas razões por vezes damo-nos conta que as nossas crianças não têm uma alimentação tão saudável como gostaríamos. Como chegaram a este ponto?


agua aromatizada com morango

Provavelmente porque o foco nem sempre foi esse, porque na correria do dia-a-dia não foi a prioridade e porque por vezes somos levados a facilitar para que o dia acabe bem e sem birras.

Quando chegamos ao ponto de tomada de consciência de que algo tem que mudar e ser ajustado é altura de pormos mão à obra! Como? Aqui ficam algumas dicas para iniciar o processo de mudança que pode não ser rápido, mas que seguramente a levará a alcançar os seus objetivos. Lembre-se, devagar se vai ao longe… o importante é não desistir!



1. Comece com pequenas mudanças e foque-se naquela que lhe trará maior benefício com o mínimo esforço

É por esta que deve começar. Identifique na alimentação do seu filho o que poderia mudar ou ajustar que não lhe custasse muito, mas que lhe trouxesse grandes benefícios.



2. Dê o exemplo e seja um modelo para os seus filhos

As crianças imitam e seguem o exemplo dos adultos. De nada servirá incentivar os filhos a comer sopa se os pais não o fizerem também.



3. Faça do momento das refeições um momento de família e de reunião

Ao jantar pode aproveitar para rever como foi o dia e apreciar ao mesmo tempo a refeição em conjunto.



4. Torne o momento da refeição um momento de relaxamento

Desligue a TV e ligue a rádio num canal de música calma. Pode parecer estranho nos primeiros dias, mas depois tornar-se-á um hábito para todos.



5. Dê aos seus filhos o máximo de informação

Eles devem saber o porquê das escolhas alimentares. Quanto mais falar com eles e lhes explicar maior a probabilidade de ser bem aceite.



6. Não esconda nem tente camuflar alimentos

Felizmente existem muitos alimentos entre os quais pode escolher de acordo com os gostos de cada um. Se o seu filho não gosta de alface certamente gostará de tomate. Experimente diversificar até acertar!



7. Se não correu bem num dia, não desista

Seja persistente e insista. Principalmente quando se trata de crianças mais pequenas é importante tentar várias vezes até o alimento ser “aceite”. Se os seus filhos são mais crescidos tente apresentar o mesmo alimento com outras texturas. Por exemplo em vez de apenas cozer os brócolos, experimente fazer puré.



8. Envolva os seus filhos no processo

Vá com eles às compras, deixe-os decidir dentro dos alimentos saudáveis, incentive-os a organizar a despensa e traga-os para a cozinha para cozinharem em conjunto. Eles são o elemento ativo do processo de mudança, inclua-os!



9. Evite o fundamentalismo

Não funciona, não é bem aceite e não é sustentável. Escolha em conjunto com os seus filhos quais os alimentos menos saudáveis preferidos e defina um dia da semana para fazerem uma refeição livre. Lembre-se o que importa não é o que comeu ontem, mas sim o que comeu no mês passado e no ano anterior.



10. Divirtam-se!

No supermercado, na cozinha e à mesa. Longe estão os tempos em que se dizia que “não se brinca com a comida!” Brinca-se sim e muito! Seja criativo, faça concursos, crie personagens e divirtam-se!


E lembre-se, crianças felizes pais felizes.


15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo